Mais notícias

Secom UnB

PLANEJAMENTO - 18/07/2013

Versão para impressão Enviar por e-mail
Fernando Molina/UnB Agência
 

UnB inicia elaboração de política de gestão da informação

Seminário realizado nesta quarta reuniu representantes de diversos setores da universidade para uma segunda rodada de debates em torno das diretrizes de gestão da informação, comunicação e memória
Fernando Molina - Da Secretaria de Comunicação da UnB



 Tamanho do Texto

A política de gestão da informação, comunicação e memória da Universidade de Brasília voltou ao centro das atenções em seminário realizado na manhã desta quarta-feira (17). Dando sequência ao debate iniciado em outubro do ano passado, diversos setores da UnB se reuniram no auditório da Faculdade de Comunicação (FAC) durante todo o dia para uma segunda rodada de discussões sobre os caminhos a serem traçados para a construção da política informacional da UnB.

Representantes da Faculdade da Informação (FCI), da Faculdade de Tecnologia (FT), Centro de Documentação (Cedoc), Secretaria de Comunicação (Secom), do Centro de Pesquisa da Arquitetura da Informação (CPAI), do Centro de Informática (CPD) e da Faculdade de Comunicação (FAC) participaram do seminário, compartilhando as rotinas de cada setor e a visão que cada um tem sobre a política informacional da UnB.

A Política de informação e governança informacional foi o tema da palestra de abertura, proferida pelo professor José Maria Jardim, da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio). Com 20 anos de experiência em sistemas e políticas de informação no âmbito governamental, Jardim destacou o caráter inovador da iniciativa da UnB. “O debate que está sendo realizado aqui pode muito bem contaminar outras universidades e instâncias da administração pública brasileira”.

Palavras como sinergia e fragmentação foram constantes nas intervenções ocorridas no seminário. A constatação da necessidade da UnB ter uma política de gestão da informação foi um consenso entre os participantes, bem como da integração entre os diversos setores. “Essa política não pode estar dissociada de uma política de desenvolvimento institucional”, afirmou a professora Cynthia Roncaglio, diretora do Cedoc, citando o documento resultante da primeira edição dos debates, entregue à Comissão UnB 50 Anos e à reitoria da universidade.

O professor emérito Isaac Roitman, coordenador da Comissão UnB.Futuro,  informou que a mobilização em torno da gestão da informação no campus teve origem no âmbito das atividades da Comissão UnB 50 Anos, que promoveu várias atividades e produtos voltados para a reconstituição da memória da universidade. Para o professor, a comunicação é um setor que precisa ser aprimorado. “É preciso trabalhar de maneira sinérgica para alcançar os sonhos possíveis”, declarou, referindo-se aos projetos de realização da Rádio UnB e da TV Digital aberta.

O professor David Renault, diretor da Faculdade de Comunicação, vê a fragmentação como um ponto estratégico a ser resolvido. “Às vezes necessitamos de determinada tecnologia que foi plenamente desenvolvida e está disponível em algum outro ponto da UnB, mas desconhecemos”, afirmou. “Precisamos reunir esforços”, sentenciou, defendendo a efetivação de uma política de gestão da informação e da comunicação.

Ao destacar a qualidade da produção científica e acadêmica da UnB, a professora Elmira Simeão, diretora da Faculdade de Ciência da Informação, defendeu uma maior e melhor divulgação dos trabalhos realizados na universidade.  “A UnB dá um passo à frente, ao realizar este debate”, afirmou. “Vamos atuar de forma tranquila e transparente, trabalhando de forma sintonizada com as instâncias da UnB”.

O chefe da Secretaria de Comunicação, Hugo Costa, fez uma explanação sobre a missão e as atividades cotidianas da Secom, destacando dentre os princípios da unidade o compromisso com a verdade, com o zelo pela imagem da instituição e com a valorização da comunidade acadêmica e científica. Primeiro servidor técnico-administrativo a ocupar a chefia da Secom, Hugo tem se dedicado a estabelecer uma rede conectando a secretaria com outras unidades da universidade, como a UnBTV, o CPD, as empresas jovens e, num primeiro momento, com faculdades diretamente envolvidas com a produção e gestão da informação, como a FAC e a FCI. “Estamos agora no processo de reformulação do portal da UnB”, informou. “Estamos trabalhando com os diversos setores da universidade e com a comunidade como um todo, atentos às suas opiniões e anseios”.

Partidária da percepção do professor José Jardim de que é impossível abordar a temática da gestão da informação e da comunicação fora de uma perspectiva interdisciplinar, a professora Cynthia Roncaglio destacou os pontos fortes da UnB. “Temos à disposição especialistas e usuários de informação. Sentimos que a gestão está atenta à problemática”, declarou, defendendo a manutenção do diálogo. “Este seminário é um evento da UnB, para a UnB e sobre a UnB”.

Os participantes da segunda edição do seminário sobre a formulação de política de gestão informacional da universidade vão elaborar um documento com o detalhamento das próximas etapas a serem desenvolvidas e apresenta-lo à direção da UnB e à toda comunidade.

Todos os textos e fotos podem ser utilizados e reproduzidos desde que a fonte seja citada. Textos: Secom UnB. Fotos: nome do fotógrafo/Secom UnB.

Pesquisar Noticias [ ]

Fale conosco pelo
e-mail secom@unb.br